Gaetano Pesce

Desenhista industrial

Lareiras, estufas, fornos, cozinhas: objetos e lugares que são sinônimo da calidez que habita o espaço central de nossas casas, rico em memória e atmosferas.

Agora se une àqueles elementos o extrator, esse chapéu mágico que absorve com extravagancia os vapores olorosos de nossas comidas diárias, com uma recompensa fresca e alegre, como uma transformação evolutiva dos fogões tradicionais onde, como contava a lenda italiana, na noite anterior à Epifania, a bruxa Befana saía da lareira com sua costal cheio de presentes para dar aos meninos.

Desde logo que as necessidades e as funções têm mudado desde então, alterando e erradicando, mas o exaustor, versão atual da antiga lareira, tem mantido seu lugar vital no centro das cozinhas, se voltando, tal e como o mostram os catálogos de Elica, um elegante objeto que define os espaços e que está equipado com os mais importantes avanços tecnológicos. E é aqui onde eu me pergunto que deveria ser um sino na atualidade. Meu primeiro e imediato pensamento foi que a geometria abstrata de tantíssimos desenhos contemporâneos já teve seu tempo e que a busca da beleza absoluta é um conceito mais bem obsoleto. Ademais, considero que uma empresa tão importante como Elica efetivamente leva a cabo ações de investigação e experimentação para prognosticar as modas dos mercados da manhã.

Eu mesmo estou a cada vez mais convencido de que a figura, a imagem reconhecível, é a forma que mais lhe vai aos objetos da vida quotidiana que temos a nosso arredor; objetos que querem nos falar, nos contar histórias, e de facto o desenho moderno quer se voltar um veículo de narrativa... trazendo, na medida do possível e inclusive nos momentos mais obscuros e tristes, sentimentos de alegria, calidez, ironia, sensualidade e optimismo... e assim é como cheguei a me imaginar um sino feito das coisas típicas que usamos para preparar nossa comida: um objeto desenhado para trazer algo diferente e transtrocar o espaço da cozinha, um toque brilhante e rebelde de cor que com só uma mirada possa arrancar um sorriso de teus lábios.